A relação entre cães e crianças

Atualizado: Mar 23


Sabemos que é muito saudável para crianças crescerem em contato com animais de estimação. Além do vínculo que criam com o animal, há estudos que comprovam melhora no seu sistema imunológico e, cuidando do bichinho, as crianças começam a ter os primeiros ensinamentos sobre responsabilidade. Mas, para o animal, como ele percebe esta relação e como interage com as crianças? Neste artigo, iremos abordar alguns aspectos desta interação cão-criança e mostrar que sim, esta relação pode ser muito saudável e benéfica.


Crianças, principalmente, as menores, ao interagirem com os cães, costumam ser mais “desastradas”. Puxam a cauda dos bichinhos, os carinhos são mais “intensos”, deitam em cima deles sem hesitar. Mas, o curioso, é que a maioria dos cachorros tolera pacientemente estes “abusos”. Isso contrasta radicalmente com o que o cão toleraria se as mesmas ações fossem feitas por um humano adulto. Então, o que torna o melhor amigo do homem tão compreensivo com o comportamento das crianças?

INSTINTO DE PROTEÇÃO

Na natureza, os caninos fazem grandes esforços para estabelecer e reforçar seu lugar em um grupo social e essas posições determinam claramente quem é o responsável e quem é o subordinado. Entre os cães criados como animais de estimação, a hierarquia é bastante direta (ou seja, aquele que me alimenta pode me guiar). Os cães também têm uma sensação clara de quem é a família deles. Uma vez que uma pessoa se torna membro da sua “manada”, eles serão protegidos a todo custo.

Um ambiente familiar não é diferente pelo ponto de vista do cão. Os caninos sabem quem é a família e a maioria não hesita em colocar-se em perigo para proteger um deles. Em relação as crianças, eles sabem reconhecer que são mais inofensivos e dependentes e, por isso, precisam de mais cuidados. É como se o cão visse a criança como seu filhote humano.

O instinto protetor é tão forte que pode provocar agressões indesejadas a pessoas fora da família. Por esta razão, o instinto de guarda deve ser controlado por meio da socialização dos cães e de treinamento regular. Sem isso, o instinto de proteção pode representar um perigo para crianças e adultos fora do núcleo familiar.


FACILITANDO A RELAÇÃO ENTRE O CÃO E A CRIANÇA

Para garantir que a relação entre cão e criança seja saudável desde o início, apresente a criança ao cão aos poucos. Deixe ele usar seu olfato para reconhecê-la e perceba se o cão fica à vontade com a criança.

Se for uma criança mais velha, ensine-a onde é apropriado fazer carinho no cão, o que ele gosta e, principalmente, o que ele não gosta. Dê a ela pequenas atividades relacionadas com o cão, como dar petisco, trocar a água, jogar a bolinha, isso ajuda a criar o vínculo.

É importante supervisionar o início desta interação para garantir a segurança de ambos. Por mais que o cão não ataque a criança, há situações em que ele pode se sentir muito incomodado. Lembre-se, principalmente, na fase introdutória não brigue com o cão na frente da criança para que ele não a associe a algo negativo e punitivo.

A chave para o relacionamento saudável entre um cão e uma crianças é a socialização e treinamento. E não precisa ser treinamento especializado, o ensinamento básico do "bom cão" é tudo que um cachorro precisa para compreender que a criança é um membro da sua família. Seus instintos naturais farão o resto.

INSTITUCIONAL
NOSSOS PRODUTOS
ONDE COMPRAR

©2020 Legnobile Pet. Todos os direitos reservados.

Curitiba/PR | CEP: 82.120-170